Tag-Archivo para » decoração para casa «

quinta-feira, dezembro 06th, 2012 | Author:

A CÉU ABERTO.

Um espaço aberto nas águas-furtadas, uma extraordinária árvore-escadaria, muitos quadros e objectos oriundos de todos os horizontes: muitos marcos para se reencontrarem as visões tênues de um passado sul-africano. Seduzido pela luminosidade e o volume de dois quartos de serviço e das suas águas-furtadas em mansarda num imóvel do Marais, Peter consagrou dois anos a remodelar o espaço, por forma a ampliá-lo. «Em Paris – diz ele – não concebo habitar noutro lugar que não seja o último andar, pela luminosidade, claro está, mas também para me poder apropriar de um pequeno pedaço de céu. O conjunto é, sem dúvida, pequeno, eis por que comecei por alargar as paredes. Com efeito, eu pretendia obter um espaço inteiramente aberto com apenas uma porta, a da entrada!». Hoje em dia, este desafio foi conseguido com sucesso. Sem separações, estes aposentos formam um luminoso e insólito apartamento de aproximadamente 80 m2. Concebido então em dois níveis, neste apartamento circula-se do salão para o quarto, da casa de banho para a cozinha sem que nenhuma porta seja atravessada. Intimidade obriga, apenas um biombo em madeira trabalhada. No universo de Peter, que nasceu na África do Sul, encontra-se uma alquimia de culturas, onde o Ocidente, a África e o Oriente se misturam. Aqui, os cadeirões e os lustres Art Déco coabitam com um espelho com riscas em noz de coco ou com um tapete paquistanês. UMA EXTRAORDINÁRIA ÁRVORE-ESCADARIA Viajante e coleccionador, Peter percorreu o mundo para ensinar dança contemporânea. De volta a Paris, trouxe tecidos, lanternas ou conchas oriundas do Japão, Argentina, USA.

A decoração na qual vive, nasceu, pois, das suas viagens e da sua curiosidade. Estes objectos, provenientes de todos os continentes não conseguem, no entanto, a atenuar o cunho africano da casa. A escada, uma árvore escultural realizada por Francesco Passaniti, acentua esta vontade. Todavia, este último ignorava o país natal de Peter quando orientou as suas reflexões africanas e, mais precisamente, viradas para a vegetação. Em África, este número é símbolo de criatividade. Depressa, a idéia da árvore impôs-se a Francesco P. e suscitou o entusiasmo do dono da casa. Dois meses mais tarde, a estrutura em aço, curva e trabalhada como um tronco, tomava lugar no apartamento. Com degraus em betão colorido por um pigmento azul, a árvore-escadaria responde harmoniosamente ao mármore azul da lareira. Foi para reencontrar as visões tênues da sua infância africana que Peter se rodeou de dois papagaios e uma arara de cores resplandecentes. Oriundas da Amazônia, estas aves vivem com ele desde há sete anos. Todos os dias, durante longos momentos, os pássaros reinam em toda a habitação. De vez em quando, um deles vem pousar no ombro de Peter. O seu vôo diz ele é comparável aos saltos de um bailarino que procura contrariar a gravidade terrestre».
Uma busca de espaço e liberdade que Peter continuou a procurar na decoração do seu apartamento.

Legendas:
– A lareira do salão é em mármore azul e vermelho, bem como a bela mesa baixa com os seus pés maciços em mármore de Vérone que está em frente. O grande espelho, cujo caixilho é em noz de coco e com riscas de zebra provém da Flórida, enquanto que o mais pequeno é de Rimini, Itália. Jarra Lalique. Sofá em couro, lustre, cadeirões e candeeiros Art Déco, tapete de lã do Irão e candelabro 1950.
– A escada-escultura em forma de árvore realizada por francesco Passaniti é uma verdadeira proeza técnica. Nenhuma das partes superiores metálicas foi implantada num eixo perfeitamente perpendicularao chão. Os troncos que sustem os degraus em betão colorido com um pigmento azul, são em metal.
– O salão visto de cima. O espírito africano reina no apartamento, sem dúvida, graças às numerosas plantas.
– Dissimulada por detrás do rendilhado em madeira de um biombo, a casa de banho encontra-se no prolongamento da cozinha. Espelho redondo Brot, espelhos cinzentos Fleur d’Eau.
– Para permitir à luz de se difundir generosamente no quarto, o telhado à esquerda foi substituído por uma clarabóia. Esta é ornamentada com um cortinado com folhos de Etamine. Lanterna marroquina e mesa de cabeceira em nogueira 1930.

Compartilhe no:
  • Orkut
sábado, dezembro 17th, 2011 | Author:

Casa versátil e acolhedora

VERSÁTIL E ACOLHEDORA.
BEM-ESTAR E PRATICIDADE SÃO PALAVRAS DE ORDEM NO PROJETO DE 790 M2 EM BELO HORIZONTE.
O sofá Harry, de Antônio Citterio, foi comprado na Neo Design. As cadeiras de Charles Eames da Tepperman e a mesa de centro de laca branca da Saccaro ficam sobre o tapete de lã assinado por Natasha Rena para a Marie Camille. No detalhe, a Pampulha, um dos cartões-postais de Belo Horizonte

Compartilhe no:
  • Orkut