Arquivado em la Categoría » Objetos de decoração para sala «

terça-feira, outubro 26th, 2010 | Author:

Mesa de marmore

A tarefa parecia titânica, mas a aventura foi menos arriscada do que inicialmente se previa.
Aprendi observando – diz-nos o pintor -. Primeiro, os verdadeiros mármores: uma pequena mesa do séc. XVII em mármore dos Pirinéus, depois outras mesas, tampos de aparadores, etc. Olhem os falsos mármores das pequenas igrejas barrocas das aldeias, pintados inocentemente pelos artistas locais; esses, freqüentemente, jamais haviam visto verdadeiros mármores! É a irregularidade, o lado espontâneo e rápido da execução que constitue o charme do falso mármore. Há que ter o sentido do ritmo, ser um pouco instintivo e não se aplicar muito! O importante é o gesto!

Compartilhe no:
  • Orkut
segunda-feira, outubro 25th, 2010 | Author:

Objetos de decoração para sala de estar

Em Julho de 1994, publicava um artigo sobre o castelo de Mauriac intitulado «Castelo Pastel». Desde então, este edifício evoluiu, tornando-se… o castelo falso mármore.
Os mesmos objetos, os móveis no mesmo lugar, os tectos pintados permanecem pintados… as paredes também, mas foram revestidas de mármore. Perdão, de falso mármore. Mas, escutemos o pintor Bernard Bistes, proprietário:
«500 m2 de algodão revestia as paredes. Em dez dias elas exibiam enormes manchas cinzentas: uma poluição devida a um forno de cal que se propagou com o vento suão. Era preciso encontrar uma solução que conservasse a unidade dos aposentos. Então, pensei pintá-los. O falso mármore era o mais indicado, dissimulando as manchas.

Compartilhe no:
  • Orkut
domingo, outubro 24th, 2010 | Author:

Objetos de mesa

Produziram-se em Vallauris cerâmicas utilitárias e tradicionais como estas até aos anos 40-50. Col. Château-museu de Vallauris.
Instalado em Vallauris, Roger Capron teve, nos anos 50, uma importante produção de objetos de mesa, garrafas, pratos… de decoração muito caracteristica de xadrez ou riscas coloridas num fundo branco. Reveladoras da sua arte, os restos de terra bruta que ele deixava entre os toques de cor. Col. G. Martel-Greiner.
Fortemente influenciado por Picasso, Jacques Innocenti, morto brutalmente em 1958, usava a massa terrosa colorida como um pintor a sua paleta, explorando o vermelho profundo da terra bruta local. Col. G. Louvre-Victoire.

Compartilhe no:
  • Orkut
sábado, outubro 23rd, 2010 | Author:

Objetos para decoração de ambientes

Decorador da madoura, Jean Derval esteve em contado com Picasso do qual reteve a amplitude das formas e o poder do grafismo. Esta cabeça de mulher em’ recorte evoca o geometrismo figurativo ao gosto dos anos 40-50, Col. G. Contrastes.
Reencontramos os irísados tão gratos aos Massier reactualizados numa estética muito 1925. Grés esmaltado de jean Baril com decorações de marabu e fundos subaquáticos. Col. Château-museu de Vallauris.
Ao contrário do «Vallauris de Picasso», os antigos ateliers propunham aos turistas recordações de gosto perfeitamente duvidoso. Fabricados à mão, estes peixes – lamparina constituem uma imagemforte do Vallauris dos artistas tradicionais. Modelo de Ribero. Col. G. Kitsch.

Compartilhe no:
  • Orkut
sexta-feira, outubro 22nd, 2010 | Author:

Objetos de decoração para casa

Um grafismo ligeiro, incisivo, caligrafiado caracteriza a obra dos anos 50 de Gilbert Portanier. Nascido em Cannes, Portanier instalou-se em vallauris em 1948 depois de uma passagem pela Belas-Artes de paris. Col. G. Contrastes.
Típico dos anos 50, este prato de André Baud em cinzento antracite e com um motivo abstracto no espírito de Miro. Col. G, Louvre-Victoire.
Mais naturalistas que os artistas da escola de nancy, os Massier inspiraram-se igualmente nas flores do seu jardim. Feito em massa de ceramista e com uma grande preocupação de realismo, este jarro em forma de lírio de Delphin Massier. Por volta de 1900-1910. Col. Alice Ceccaldi.

Compartilhe no:
  • Orkut
quinta-feira, outubro 21st, 2010 | Author:

Objetos de decoração

O cinzento das peças de Gilbert Valentin era obtido misturando na peça um esmalte e um esmalte negro. Alguns toques de cores vivas, amarelo e vermelho, ao gosto dos anos 50, realçam o conjunto. Col. Galerie Contrastes.
Torneira de Madoura, Jules Agard trabalhou para Picasso e preparou as peças. A sua produção pessoal, um sedutor bestiário, foi sem dúvida influenciada. Col. G. Alexander et Klein.
Antes de se especializar na cerâmica falsa madeira, nos meados dos anos 50 Grangean-Jourdan produzia cerâmica culinária. Primeiro mate, a falsa madeira declinou-se depois em versão brilhante, muitas vezes, ornamentada com um motivo negro mostrando uma silhueta, em particular, o perfil de Sylvette, jovem com rabo de cavalo, modelo de Picasso. Col. Galerie Kitsch.

Compartilhe no:
  • Orkut