Arquivado em la Categoría » Cores de decoração «

domingo, agosto 22nd, 2010 | Author:

Cores na decoração de ambientes

Para usar criteriosamente o círculo, é preciso levar em conta, ainda, as principais características da cor: o matiz, a saturação e a luminosidade.
Matiz – é a cor, propriamente dita. Se ela é misturada, o matiz indica qual é a cor predominante, primária ou secundária.
Saturação — é o grau de pureza do matiz. Quanto mais pura, mais saturada, ou viva, é uma cor. As cí-tricas, por exemplo, são muito saturadas. Evite-as em ambientes de longa permanência, como o estar e os quartos: elas cansam facilmente. Já os tons pastel têm pouca saturação, o que torna seu uso muito mais tranqüilo.
Luminosidade – indica o quanto de branco existe em determinada cor. Quanto mais branco tiver, mais luminosa ela será.
Ao combinar dois ou mais matizes, é bom que haja uma correspondência entre os graus de saturação e de luminosidade. Um laranja esmaecido vai bem com um violeta igualmente esmaecido, por exemplo. Use o círculo ao lado como base: ele apresenta essas características dos matizes no mesmo nível.

Compartilhe no:
  • Orkut
sábado, agosto 21st, 2010 | Author:

cores para decoração

A arte de orquestrar matizes.
Nada é aleatório nesse universo. E o círculo cromático é o maior aliado na hora de combinar, em casa, a vasta gama de tons que habita a natureza.
Aidéia de colorir a casa chega a causar calafrios aos que acham que só existe harmonia em um mundo de brancos e beges. Não há dúvida de que, dentro dessas duas opções, a margem de erro é mesmo pequena, mas ousar uma ou outra tonalidade mais forte não vai manchar a reputação das criaturas de bom gosto. Conhecer um pouco a teoria das cores – e a partir dela criar uma espécie de paleta particular – pode ser o primeiro passo bem dado em direção a um ambiente tão vivo quanto equilibrado.
A menos que você deposite confiança total e irrestrita na sua intuição, cultive o hábito de consultar o esquema ao lado, lembrando que, ao trabalhar com cores vizinhas ou próximas no círculo, o contraste será menor e o resultado mais harmônico. No caso das opostas, espere sempre um maior contraste. Por isso é tão importante saber o que se quer do ambiente: criar um clima tranqüilo e suave ou um espaço alegre e vibrante?

Compartilhe no:
  • Orkut
sexta-feira, agosto 20th, 2010 | Author:

círculo cromático

Não se trata de uma convenção de cavalheiros. O círculo cromático, apresentado pela primeira vez no século XVIII, é uma representação da natureza que nos permite experimentar esquemas variados de composição de cor para as mais diversas finalidades. Aqui estão reproduzidas as três cores primárias, as três secundárias e as seis terciárias principais. Você pode tentar suas próprias combinações usando os agrupamentos criados especificamente para a decoração – as complementares divididas e as duplas complementares – que você vê nas próximas páginas.

Compartilhe no:
  • Orkut
quinta-feira, agosto 19th, 2010 | Author:

Decoração de interiores com cores

O homem, afinal, não nasceu para os meios-tons. Há milhares de anos já se impregnavam de preto, vermelho e ocre as paredes das cavernas, em desenhos rupestres que ainda admiramos. A Grécia Clássica é de um branco imaculado só na nossa lembrança escolar – as colunas do Parthenon exibiam uma vibrante combinação de vermelhos, dourados e azuis. Parece até pouco, se comparado à profusão de nuances vistas hoje nos tecidos, nos plásticos, nas máquinas de tintas capazes de reproduzir exatamente aquela tonalidade com que sonhamos. Mas foi dos impressionistas que herdamos uma das melhores lições. Pintando ao ar livre, esses artistas descobriram a influência da luz solar sobre os matizes. E que um tom de verde, laranja ou violeta nunca será o mesmo dez minutos depois.

Compartilhe no:
  • Orkut